Close
Exit


A RUA DA AMARGURA

1994 – 2002
Concepção e Direção Geral: Gabriel Villela

SINOPSE
“A Rua da Amargura – 14 passos lacrimosos sobre a vida de Jesus”, dirigido por Gabriel Villela, para o Grupo Galpão, descreve, em linguagem melodramática, divertida e comovente, o nascimento, vida, morte e ressurreição de Cristo. Seu ponto de partida é o texto “O Mártir do Calvário”, do dramaturgo português Eduardo Garrido.

Escrito em 1902, foi representado à exaustão por todas as companhias de circo-teatro que perambulavam pelo Brasil, nas cinco primeiras décadas do século XX.

O espetáculo incorporou o repertório musical, os folguedos e as tradições que, no interior mineiro, marcavam as comemorações do ciclo do Natal e da Semana Santa, associando-os à forma de interpretação circense, para extrair desse amálgama um sofisticado monumento às manifestações mais populares da nossa cultura.

Harmonizando humor, poesia e dramaticidade e reelaborando com rigor estético a autenticidade e a singeleza da fé popular, “A Rua da Amargura” atinge o público pela emoção e o arrebata ao expor o sentido profundo do ato e da festa teatral.

O espetáculo obteve mais de vinte prêmios em diversas categorias. Foi eleito o melhor trabalho teatral exibido em 1994, no Rio de Janeiro, e recebeu os troféus Sharp, Molière, Shell e Mambembe, na categoria de “Melhor Espetáculo”. Sua carreira ultrapassou as duzentas e vinte apresentações, em vinte cidades de oito estados brasileiros e em mais sete países (Portugal, Espanha, Canadá, Costa Rica, Venezuela, Colômbia e Uruguai).

Em abril de 2001, foi adaptado para um programa especial da Rede Globo de Televisão – “A Paixão Segundo Ouro Preto”, gravado na Casa da Ópera e nas ruas da histórica cidade mineira, exibido na noite de Sexta-Feira Santa. A adaptação para a televisão teve como narrador o ator Paulo José.

FICHA TÉCNICA DO ESPETÁCULO
Elenco
Antonio Edson – Pilatos / Menino Deus
Arildo de Barros – Caifás / Simeão
Beto Franco – Pedro / Pastor / Nicodemos
Eduardo Moreira – Jesus / José
Fernanda Vianna / Bia Braga (atriz convidada) – Verônica / Baltazar
Inês Peixoto – Maria Madalena / Rei Belchior
Júlio Maciel – Anás / Dimas / Pastorinha
Lydia Del Picchia – Pastorinha
Paulo André – João Evangelista / Pregoeiro / José de Arimatéia / Anjo
Rodolfo Vaz – Judas / Pastorinha
Simone Ordones – Samaritana / Virgem Maria (1a parte)
Teuda Bara – Virgem Maria (2a parte) / Serva / Rei Gaspar

Equipe de criação
Concepção e direção – Gabriel Villela
Adaptação do texto – Arildo de Barros
Assistente de direção – Simone Ordones
Cenografia – Gabriel Villela
Iluminação – Maneco Quinderé
Figurino – Maria Castilho / Wanda Sgarbi
Assistentes de figurino – Ivana Andrés / Daniela Starling
Criação e execução dos tecidos – Vaninha Soares Pereira/WS
Adereços e pinturas de arte – Wanda Sgarbi
Coreografias e preparação corporal – Paola Rettore
Trilha sonora – Chico Pelúcio
Preparação vocal – Babaya
Arranjos musicais – Fernando Muzzi
Arranjos e preparação vocal para coro – Ernani Maletta
Preparação corporal – Paola Rettore
Cenotécnico – Mário Márcio / Helvécio Izabel
Workshops de interpretação circense – Jacira Vianna
Efeitos especiais – Mário Márcio
Pintura em espuma – Sebastião Vieira
Técnico de som – Rômulo Righi / Helvécio Izabel
Operação de luz – Alexandre Galvão / Wladimir Medeiros
Estúdio de gravação – R Som
Programação visual – Métrica Comunicação
Fotos – Gustavo Campos
Direção de produção – Chico Pelúcio / Regiane Miciano
Produção executiva – Gilma Oliveira
Produção – Grupo Galpão

Go top