->Crônica do João Celso

Oi pessoal,
O João Celso nos enviou a carta que deu origem a história “Cabeça de Cachorro” que faz parte do nosso novo espetáculo. Segue abaixo uma crônica que ele nos mandou.

Pequenos Milagres

Hoje falo de um bocado de emoção que tem rolado por aqui.
É que aconteceu na quinta-feira, dia 29, a estréia da nova montagem do grupo Galpão, Pequenos Milagres. São 4 histórias, que saíram de uma campanha que o grupo fez no ano passado, para comemoração de seus 25 anos. Chamou-se Conte Sua História, e pedia-se que se contassem histórias acontecidas no âmbito pessoal.
Pois bem, foram enviadas cerca de 600, e foram fazendo a seleção, primeiro 50, depois 12 e finalmente 4. E minha emoção é que uma das 4, Cabeça de Cachorro, foi uma das 8 histórias que enviei. É que uma casa de 9 filhos, como foi a da minha infância, só não tem histórias para quem não as quer contar. Eu quis.
A emoção foi muito grande, principalmente porque sou macaco de auditório, ou melhor, de rua do Galpão. Lembro-me de como fiquei aceso quando eles estavam ensaiando Romeu e Julieta, e anunciaram um ensaio lá em Morro Vermelho, distrito de Caeté. Para quem não conhece, é um arraial histórico, consta que foi lá que eclodiu a revolução dos Emboabas, ou dos Quintos. Um lugar que eu freqüentava muito quando fazia trilhas de moto, e fui cedo pra lá no domingo do ensaio. Só encontrei a Veraneio que por muito tempo serviu de palco e transporte de material para o grupo. O ensaio tinha sido no sábado.
Mas se me frustrei neste dia, daí pra frente fiquei assíduo aos espetáculos e atento à programação. Então creio que todos podem imaginar a emoção de ter um texto escolhido por eles. Ver o ensaio, ver seu texto ali trabalhado por eles, e principalmente ser acolhido e poder trocar idéias e histórias com eles, foi e está sendo muito bom. Dá pra entender a graça e o carisma que possuem. Pois fazem um trabalho em que colocam seu coração, seu tesão. E continuam humanos, são estrelas que brilham, mas ao alcance de nossas mãos, de nosso toque, de nossa fala.
Tive a notícia da escolha na semana seguinte à colocação da prótese. Prótese de quadril, de articulação coxo-femoral, e do lado direito. Na Leitura Corporal esta é uma área nobre de criatividade, e lado direito fala do lado paterno, do lado Yang e da relação com o outro. Olhem só. Não foi a toa que, no meio de histórias que aconteceram comigo, a escolhida aconteceu com meus irmãos, eu já estava em BH, eles lá no Sul de Minas.
Mais interessante ainda é que, quando o Tarcísio, meu irmão protagonista principal, reconta o causo, fala mil detalhes novos, que não estão lá. Como estão lá mil detalhes que eu acabei criando. E quando fui ver a montagem, vejo outros mil detalhes incorporados por eles.
E no ensaio, olhem que vejo meu pai lá no meio da história. Ele não estava no texto, nem na história, já estava em outra dimensão. Mas a dramaturgia entendeu que seria interessante ele lá. E com seu nome, Celso. No texto não há nomes, nem me perguntaram antes. Escolheram o nome dele baseado no meu, claro. Mas o bigodinho, ah, este foi demais!
Mas não tenho dúvidas que captaram algo que está por aí. Na minha história, na história de minha família, alguma coisa está acontecendo. E eles captaram. Porque tenho sentido que este pai, que partiu há 40 anos, está muito por aqui, muito presente.
E no mínimo foi um grande presente ter meu texto encenado pelo Galpão.
A montagem está no Cine Horto, rua Pitangui 3.413, Sagrada Família. Fone 34639186.
Ficará lá até o dia 20 de Maio, indo depois para o Rio, São Paulo, para o MUUUNNDO!!!
E mais uma vez, só tenho que agradecer a eles e a todos que têm caminhado comigo.
Muito obrigado.
João Celso, Macacos, 03/04/2007

3 Respostas para “Crônica do João Celso”

  1. Gostaria de poder ver mais uma vez o Grupo Galpão em cena. Tive a honra de vê-los, aqui na minha cidade, Mossoró/RN, com Um Molière Imaginário. Vocês são fantásticos…
    É uma pena morarem tão longe da minha cidade, e não estarem por aqui com frequência…
    sucesso a tds…

  2. Gentes! Espero que venham em Vitória/ES, amo demais vocês, sou fã do trabalho e da luta pelo teatro, aqui em Vix o Galpão é amado por todos, e confesso que sou tiete de vocês, estão guardados no meu coraçãozinho, num lugar muito especial.

    BjOs e abraços pra toda a equipe.

  3. pessoas e pessoas, voces todos sao mto queridos aki na minha cidade. a primeira vez que vimos voces foi no espetaculo Pequenos Milagres, fiz questao de sentar na frente, pois ja imaginava que seria o maximo. fiquei extasiada ao final da apresentaçao.
    e quando conseguimos chegar ate vces e ouvi-los de pertinho, nossa, foi a melhor coisa… sou tiete de voces, fa incondicional, tenho o dvd do Romeu E Julieta, assisto sempre… voces estao em meu coraçao.. estao convidados para o nosso proximo espetaculo: Perdoa-me de Nelson Rodrigues- uma adaptaçao… dia 22 de novembro em teofilo otoni-mg.. um bjao e sucesso pra todos…

Deixe um comentário