->Galpão, Tchekhov e Jurij Alschitz : Novas paisagens

 

Dando continuidade ao  projeto “Viagem a Tchekhov”, terminamos no dia 29 de Junho nosso primeiro encontro prático e teórico com o diretor e professdor russo Jurij Alschitz e sua assistente lituana, Olga Lapina. Durante um mês, praticamos os treinamentos psico-físicos desenvolvidos pelo mestre russo, técnicas vocais aplicadas por Olga Lapina e trabalho de canto a partir de músicas folclóricas russas, com arranjos e ensaios coordenados pelo maestro Ernani Malleta. Os atores envolvidos neste segundo processo são Inês Peixoto, Lydia Del Picchia, Simone Ordones, Chico Pelúcio e Júlio Maciel. Porém, sempre que a agenda permitiu, os outros atores do grupo, que estão viajando com o espetáculo “Tio Vânia” também participaram do treinamento. 

Desta vez, não contamos diariamente com a presença do nosso querido Eduardo Moreira, que sempre compartilha com simplicidade e inteligência nossas experiências com os seguidores do nosso blog mas, tentaremos contar um pouco sobre este encontro precioso para o Galpão. 

Estamos vivendo uma experiência nova em vários sentidos e desenvolvendo novas maneiras de entendimento do trabalho. 

Após o Ecum 2010 com os mestres russos, convidamos o Jurij para desenvolver um trabalho com o Galpão e, quando tudo foi acertado, começamos a leitura de todos os contos de Tchekhov traduzidos para o português, para a  realização de tarefas, seguindo as instruções enviadas por ele via e-mail e Skype. Podíamos escolher qualquer conto e qualquer tema. Quando ele e Olga chegaram em Belo Horizonte, nosso primeiro dia de encontro foi para apresentação das cenas que criamos. 

Nos comunicamos em inglês ( alguns são mais fluentes que os outros, por isto contamos com a tradução simultânea do nosso assistente de direção brasileiro, Diego Bagagal). O inglês com sotaque russo do Jurij  nos deu novos nomes: Chica, Sima, Ínes, Julia, Beta e, Lydia  se salvou. Ele ama “pão de queija” e banana! Depois de 9 horas diárias de trabalho em inglês, com muito estímulo físico e mental,  voltávamos para casa com muitos textos escolhidos dos contos de Tchekhov, que deveriam ser decorados e apresentados no dia seguinte. 

Jurij, no segundo dia de trabalho, nos disse que há 20 anos ele não aplicava seu treinamento numa sala pintada de preto ( cor do salão de criação e ensaios do Galpão) mas, que ele nos amava e ia tentar trabalhar assim mesmo. Ele desenvolve todo o trabalho  conectado com a energia do espaço circulando pelo corpo dos atores. Então, nos transferimos  para uma sala de ensaio do Cine-Horto. Este desabafo fez com que Chico saísse correndo atrás de um pintor, comprasse latas de tinta branca e, num fim de semana, todo o salão foi pintado de branco. E voltamos para nosso treinamento no Galpão branco. 

Tchekhov  diz em um de seus contos: “A sensação é superior a qualquer descrição. Esta riqueza de cores e sons que cada qual recebe da natureza na forma de impressões, na pena dos escritores é uma tagarelice numa forma monstruosa e irreconhecível ”. 

Olhando para o treinamento e ensinamentos do Jurij como se fosse uma nova paisagem que está  sendo apresentada para o Galpão, conhecida porque é teatro, desconhecida porque vem pintada com cores que estamos tentando entender, arriscaremos pequenas descrições. 

Seria precipitado expor aqui o treinamento em si, porque ele é tão estimulante e complexo, que tem de ser experimentado. Ao final desse processo, Jurij como maravilhoso  pedagogo que é, quer que estejamos capacitados para aplicar os exercícios desenvolvidos por ele. São exercícios que trabalham a energia do espaço e do corpo potencializadas para a criação, atenção, ritmo, presença, improviso, expansão e redução de deslocamento, impulso corporal na voz, pontos de energia do corpo associados à emissão da voz, enfim, ingredientes que todos nós conhecemos bem, porém, apresentados em novas composições. 

Então, pensamos que nesta etapa em que nos encontramos, poderíamos compartilhar frases soltas do Jurij, frases que anotamos durante as inúmeras palestras que tivemos o privilégio de sentar e escutar durante este intenso mês de Junho. 

Aforismos de Jurij: 

“Paradoxo dá energia. A lógica, não.” 

“ Somos escravos do tempo. Para o Rei, isto não existe” 

“O ator não pode estar no mesmo nível do personagem, e sim, ver o personagem de longe.” 

“Existem três linhas numa cena : Texto, emoção e movimento.” 

“ Se a história é para baixo, o espírito tem que ser para cima”. 

“ Não pinte o personagem. Dê algumas pinceladas”. 

“ Não vou falar sobre uma pessoa, vou falar sobre a vida”. 

“ Se sabemos “o que” falar, temos grande liberdade”. 

“ A reza deve te fazer mais forte. Na igreja você recebe a energia e sai com ela. O texto tem de te fazer mais forte, te trazer energia.” 

“A energia fica na memória e o corpo retém a memória da energia”. 

“Não existe a palavra e sim a energia que transita entre a conexão, entre as palavras”. 

“A combinação entre o quente e o frio, gera energia.” 

“O texto não é dito pela boca, é dito através das energias”. 

“Se não houver paradoxo no texto, temos de encontrá-lo na cena”. 

“Não acredite em suas primeiras impressões”. 

“ O ator e o diretor devem mudar a opinião do público durante a performance, duas ou três vezes”. 

“Personagens têm vários nomes. Qual o nome? Com quem você está falando hoje? Quem é você neste momento? Temos um nome para cada situação”. 

“Mudança interna. Mudar internamente o nome e imediatamente tudo muda. Acontece por si”. 

“Se você trair seu talento, seu talento vai te matar. Talento é uma energia incrível!” 

“ No teatro psicológico trabalhamos  “O que? Qual a mensagem? No teatro filosófico, abstrato, trabalhamos “Quais  idéias são fortes? “. 

“ Ser condutor das idéias de Tchekhov para o público”. 

“Criar em equilíbrio. A fantasia não pode matar o sentido do que estamos falando”. 

“ Não há um só caminho. Há vários caminhos”. 

Continuaremos em tarefas no mês de Julho e Agosto. Em Setembro nos encontraremos com Jurij em Berlim. Novas paisagens virão… 


Jurij Alschitz e Diego Bagagal

 

Júlio, Inês, Lydia e Simone

 

Olga Lapina e o grupo

 

Olga e o grupo

 

Inês, Chico, Lydia, Simone, Júlio, Jurij e Diego

 

Ernani Maletta e o grupo

 

Fotos: Ana Alyce Ly

2 Respostas para “Galpão, Tchekhov e Jurij Alschitz : Novas paisagens”

  1. Maravilhoso.
    Impensável para nós, que estamos distantes. Mas de um riqueza indescritível, sensações que me permitem quase enxergar os trabalhos aí realizados.
    Sou fã, distante, mas fiel.

  2. […] vêm, há algum tempo, fortalecendo as trocas entre os teatros russo e brasileiro: Adolf Shapiro e Jurij Alschitz. RECORTE HOLANDÊS DO TEMPO_FESTIVAL 2012 var _gaq = _gaq || []; […]

Deixe um comentário