->Sobre a chatice do teatro

O teatro vai consolidando uma tendência (a palavra é horrível,mas é o jargão usado pelos entendidos)de abrir processos de trabalho como se fossem espetáculos a serem apresentados ao público.Cada vez mais o teatro exibe as suas entranhas.Alguns acham que a tendência é muito saudável.Acho que estamos correndo um risco terrível.O risco de ver o minguado público correr definitivamente dos teatros.O teatro está perdendo cada vez sua capacidade de arena republicana,palco das discussões dos anseios,desejos e angústias de uma coletividade para se tornar um gueto que reúne apenas grupos de pessoas que pensam da mesma maneira.Guetos de iniciados que adoram tachar tudo que é diverso com rótulos quase sempre depreciativos.E a máxima da presunção vive se repetindo – os teatros estão vazios porque o público é desqualificado,despreparado,manipulado,etc e tal.E enquanto isso,o público fica em casa ou nos bares e o teatro vai se tornando mais e mais uma arte apequenada,restrita,especializada e muito frequentemente, chata.

2 Respostas para “Sobre a chatice do teatro”

  1. Então pq fazer mostra com o Armazém?

  2. exatamente isso aí, se grupos do sul pensam assim o que dizer da triste realidade do teatro piauiense sofrida pelas bons trabalhos que aqui fazemos? Onde está um hipotética solução?

Deixe um comentário