->Tio Vânia

Concluímos a primeira semana de apresentações do nosso “Tio Vânia”, no Galpão Cine Horto, em Belo Horizonte. Foram seis espetáculos numa semana. Voltamos a fazer teatro como se fazia antigamente com uma única folga semanal nas segundas-feiras. Sinal de como o teatro perdeu força no seu encontro com o público. Hoje, as peças são apresentadas apenas de sexta a domingo e olhe lá!Como disse Yara, nossa diretora, o olhar do público resignifica muito todas as situações da peça para o bem e para o mal e é preciso estar sempre rememorando a essência de cada cena trabalhada. Especialmente num espetáculo como esse, em que é preciso ser e não representar que estamos sendo.E esse é um limite muito tênue e arriscado.Muitas vezes o que chamamos de teatralidade se confunde com artifício, representação, o que fere a atmosfera de verdade e de banalidade presente na obra de Tchékhov.

A recepção por parte do público foi a melhor o possível. Os espectadores acompanham a peça quase sem respirar. Talvez um certo ar novelesco da trama ajude. Segundo nossa diretora, é preciso não ceder `a vertente novelesca do texto. Não transformar Tchékhov em melodrama. Fazendo a peça, percebo como o público acompanha e torce para que Sonia e Vânia encontrem alguma saída que, ao final, vai dar com os burros n’água. O fato é que estamos tateando a peça e ela ainda nos escapa continuamente. O teatro é algo também frágil e, por isso mesmo, tão vivo, que sua força vem exatamente desse sopro de vida. Esperemos que a temporada de Belo Horizonte, que se estenderá até 0 dia 12 de junho, nos permite amadurecer o espetáculo, encontrar novos significados, mas sem perder jamais o sopro de vida que vem da nossa fragilidade. No mais, é um grande privilégio poder ser porta-voz de um texto tão pungente e cheio de vida como o “Tio Vânia”.

9 Respostas para “Tio Vânia”

  1. Puxa, se vcs esticassem só mais uma semaninha eu pegava o Tia Vânia em BH!

  2. Peça bacana, mas o calor…

  3. Opa, faço coro com o Paulo Moreira! E estou certo que a recepção do público vai obrigá-los a muitas outras semanas em BH! Bravíssimo!

  4. Maravilhosos: texto e espetáculo!
    Por que não há informações no site sobre TIo Vânia? Textos,críticas,fotos,etc?
    Tchécov só deveria ser montado por pessoas como vocês, grandes artistas que recuperam com modernidade e seriedade as idéias do russo. Vida longa!!!!!!

  5. Eta vontade de sair correndo aqui de Brasilia e ir para BH só para ver Tio Vânia com o Galpão. Mas não faço parte desta sociedade brasiliense que a TV mostra. Muito trabalho duro e pouca grana. Os aguado ansioso a passagem por Brasilia.

  6. Estou indo hoje com minha filha. Vamos ver…

  7. Olá, tive o prazer de ver esta peça ontem, que me foi indicada pelo Valores de Minas onde faço teatro..

    meu personagem favorito foi o Tio Vânia, ótima interpretação do ator.. qro ir ver novamente!!

    abraços ^^;

  8. eu assisti ao espetáculo ontem aqui em Londrina e, mais uma vez, saí extasiada do teatro! O trabalho de vocês é incrível e fico sempre muito feliz quando o FILO traz à minha cidade grupos e espetáculos assim!
    Fiquei impressionada com tudo: texto, produção, luz… tudo incrível!
    Só lamentei que, com a casa LOTADA, tive que sentar lááááá na última fila!
    INCRÍVEL, espero SEMPRE poder ver o Galpão por aqui!

  9. Assisti a peça ontem no SESC (Rio de Janeiro).
    Fiquei encantada e tocada com a força do texto e a interpretação dos atores, cuja a entrega foi absoluta. Parabéns pelos 30 anos!!!

Deixe um comentário