Close
Exit


Lydia Del Picchia

Nascida em Belo Horizonte, Lydia é atriz, bailarina, coreógrafa e diretora. Filha de músico,  estudou na Fundação das Artes de São Caetano do Sul desde os seis anos e, aos 12, entra para o Trans-Forma Centro de Dança Contemporânea, fundado e dirigido por sua tia, Marilene Martins.

Aos quatorze anos, assessora Marilene e, logo a seguir, torna-se professora e integrante do Trans-Forma Grupo de Dança. Ao longo de 10 anos, exerce funções de bailarina, professora, assistente e coreógrafa. Ponto de experiências culturais e interdisciplinares mais vastas, o Trans-Forma convida atores, músicos e diretores para promover cursos e dirigir espetáculos. Entre outros, trabalhou com: Marilene Martins, Dudude Herrmann, Graciela Figueroa, Klauss Vianna, Freddy Romero, Angel Vianna, Rolf Gelewsky, Bettina Belomo, Sônia Mota, Eid Ribeiro, Carlos Rocha e Paulo Cesar Bicalho. Em 1980 estuda no Alvin Aylei American Dance Center, e em 1989 na escola de Jose Limón, em Nova York. Em 1985 começa a dar aulas de dança na Escola de Dança do Palácio das Artes e em seguida na Cia de Dança de Minas Gerais, onde atua também como assistente de coreografia, professora e bailarina, trabalhando com Tíndaro Silvano, Luis Arrieta, Rodrigo Pederneiras, Oscar Arraiz, Antônio Carlos Cardoso, Carmen Paternostro, tendo participado também do Grupo de Dança 1º Ato, cuja proposta, semelhante àquela do Trans-Forma, explora a fusão entre música, teatro e dança, ali permanecendo por três anos como bailarina, professora e assistente de coreografia.

Em 1994, a convite do Grupo Galpão, substitui temporariamente uma das atrizes, na montagem de “A Rua da Amargura”, e se estabelece definitivamente no grupo, como atriz de todos os espetáculos em repertório, tendo trabalhado com Gabriel Villela, Cacá Carvalho, Paulo José, Paulo de Moraes, Jurij Alschitz e Marcio Abreu.

Atuou também como assistente e diretora em vários espetáculos do Grupo Galpão e do Galpão Cine Horto, centro cultural do grupo em Belo Horizonte: “A Vida é Sonho” e “In Memoriam”, do Oficinão Galpão, “Papo de Anjo”, do Projeto Pé na Rua do Galpão Cine Horto, “Um homem é um Homem”, do Grupo Galpão com direção de Paulo José, “Ensaio de mentira – ou o último ensaio para dizer a verdade” do Oficinão Galpão e “Os Gigantes da Montanha”, do Grupo Galpão com direção de Gabriel Villela. Em 2014 dirige, juntamente com Simone Ordones, o espetáculo “De Tempo Somos”, do Grupo Galpão.

“Horas Possíveis” do Grupo Camaleão de Dança, “Migrações de Tenesse” e “Estranha Civilização”, com a Cia. Absurda, são alguns de seus trabalhos independentes.

É Coordenadora Pedagógica do Galpão Cine Horto desde 2004.

Go top